quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

O que esperar... Do Galaxy S IV e seus concorrentes diretos do mercado Android em 2013

galaxy-s-iv-times-squareA Samsung acabou de liberar os convites do lançamento do Galaxy S IV (GS4 daqui em diante) para 14 de março, e pela primeira vez, além de fazer o evento para os jornalistas ela também vai fazer o lançamento simultâneo na Times Square, a “esquina” mais famosa do mundo. Esse é um movimento ousado de uma empresa que, em 2 anos, saiu de 4º lugar no mercado mundial de celulares para 1º. A Samsung lidera hoje o mercado de celulares em geral e o mercado de Smartphones. Ela faz isso basicamente porque tem Smartphones para todos os gostos, desde o mais barato Android até os mais badalados aparelhos como Galaxy S3 e Galaxy Note II. E agora dará um novo passo para garantir sua liderança, mas a concorrência está longe de estar dormindo no ponto.


HTC e Sony já lançaram seus concorrentes diretos contra o GS4 e ambos, HTC One e Xperia Z respectivamente, são excelentes aparelhos.

A HTC sai na frente porque ela está repetindo a dose do OneX, aparelho escolhido por mim e por muitos outros sites especializados (Engadget, Gizmodo, Anandtech entre outros) como o melhor de 2012. Ela pegou o que o OneX tinha de melhor e aperfeiçoou.
A começar pelo corpo, que agora é todo feito em uma liga reforçada de alumínio aeronáutico e com uma qualidade de construção só alcançada até hoje pela Apple pelo que dizem as pessoas que já manipularam o aparelho.
A tela de 4,7 polegadas que já era a melhor do mercado agora é 1080p com a 3ª geração da tecnologia Super IPS LCD. Pelo que foi dito, ela está muito melhor do que já era.
A câmera é totalmente diferente do que vem sendo usado hoje em dia, e exigiria um artigo só para ela. Basta dizer que a câmera tem tudo para ser a melhor câmera de um smartphone até hoje (tirando o Nokia 808, que para mim nem pode ser considerado um verdadeiro smartphone). Ela tem um novo tipo de sensor, estabilização de imagem, uma lente ainda melhor que a do OneX, mais de 2 vezes mais absorção de luz do que os outros sensores e melhor qualidade por pixel. Isso tudo reunido significa provavelmente a melhor foto com pouca luz do mercado. Vale dizer que ela também filma em 1080p com 60 FPS.
Além disso, o aparelho virá com uma nova versão de Sense que é mais limpa e tem uma nova homescreen que pega dados dos seus sites preferidos e os reúne em um estilo parecido com o Flipboard na tela inicial. Mas o Sense antigo ainda está ali para quem quiser.
O processador é o mais avançado fornecido hoje pela Qualcomm, um Snapdragon 600 (baseado em Cortex-A15, quad-core).

A Sony já tem também seu Top de linha, o Xperia Z (aqui pro Brasil virá uma versão levemente modificada a ZQ) já lançado há mais de 1 mês, mas ainda não disponível para compra, vem também como uma ótima opção. Além da tela LCD de 5 pol. com 1080p e o mais novo Bravia Engine ele conta com uma nova câmera de 13MP e tem um grande diferencial (mas que não estará disponível na versão brasileira), ele é a prova d’água, líquidos e poeira em geral. Você poderá beber sua cervejinha em paz sem ficar neurótico em ter seu super-celular arrasado por um derramamento. O Xperia Z aguenta 1h em baixo de 1m de profundidade de água. O telefone tem um bom processador, e tudo para deixar qualquer fã da Sony feliz.

Quem também tem bons concorrentes é a LG, que tem entre suas armas o excelente Nexus 4, que leva a vantagem de ser um aparelho Nexus e ter sempre o Android puro e mais atualizado. Ele está em falta nas lojas desde o seu lançamento, já que a procura é muito maior do que tanto Google quanto LG esperavam. A LG também vem com o Optimus G PRO, versão 1080p e com novo processador (mesmo do HTC One) do seu bom celular Optimus G de 2012. Como o G vendeu mais de 2 milhões de aparelhos, o G PRO pode ser também um sucesso e vender mais ainda (números pequenos perto de GS3 e Note 1 e 2 e HTC One X, mas expressivos quando se fala do mercado Android).

A Motorola se prepara para no fim do ano lançar o tão esperado Nexus da Google (já que a empresa é agora parte do grupo Google), que deve ser conhecido como Nexus X. Mas ele só vem em Novembro (com Android 5.1?) e até lá ela deve lançar alguns aparelhos mid-top para manter sua pequena fatia de mercado.

Mas agora vamos falar do Galaxy S4.
Ele será lançado em 15 dias e virá com praticamente a mesma coisa que seus concorrentes, mas pode surpreender em alguns aspectos. Vamos por partes.

Tela – A Samsung é a maior produtora e incentivadora das telas Amoled, e deve continuar essa tendência com Galaxy S4. A tela TEM que ter pelo menos 1080p de resolução e não acredito que tenha mais que isso. Isso faz com que ele se iguale em resolução aos seus rivais, mas temos que ver que versão de Amoled (ou até LCD, quem sabe) a Samsung vai usar. O tamanho deve ficar entre 4,8 e 5,2 polegadas. Talvez a Samsung utilize um tamanho maior que o do GS4 para não ficar “atrás” de quase todos os telefones de 1080p de 5 polegadas do mercado. Eu ainda acho que a melhor tela será a do HTC One.

Processador – A Samsung já anunciou seu novo processador que pelo marketing da empresa é octa-core (algo falso, pois ele tem somente 4 núcleos no máximo rodando simultaneamente). Ele usa 4 cores Cortex-A15 e 4 cores Cortex-A7. Somente os núcleos da mesma tecnologia rodam ao mesmo tempo. Os Cortex-A15 são usados para quando de se precisa de performance máxima e os Cortex-A7 quando se precisa de economia de energia. O interessante é que os Cortex-A7 sozinhos já são o suficiente para rodar filmes em Full HD e a maioria das coisas que se faz em um tablet ou celular e os A15 só entram na jogada quando se usa browser para navegação (mesmo assim só quando se está montando a página, depois os A7 assumem) ou um jogo em 3d ou coisa parecida. O que se ganha com isso? Mais vida útil da bateria (já que os A7 usam no máximo algo em torno de 30% da energia dos A15) e melhor performance quando necessário.
Eu ainda acho complicado se usar um chip desses em celulares, já que está longe de ser um chip barato de produzir, e acho que ele seria melhor utilizado em tablets, então não descarto uma versão Dual dual-core (dois A15 e dois A7) para o GS4.

Câmera – Querendo ou não, câmera é um dos grandes atrativos dos smartphones hoje em dia, e aqui temos algumas opções. Há boatos de que a Samsung usaria um sensor de 16MP, talvez o mesmo usado em sua câmera (Galaxy Camera). Eu acho difícil, ele é um sensor bem maior que o normal dos celulares (dificultando pô-lo em um local apertado como o interior de um celular) e nem proporciona uma qualidade muito maior que a do GS3. O que eu imagino é que ela use o mesmo que é usado hoje no Xperia Z (já que a Samsung costuma usar sensores Sony em seus celulares) de 13MP e faça alguma modificação por software e nas lentes para tentar diferenciá-lo da câmera do telefone da Sony. E se essa for a decisão da Samsung, é acertada, porque o sensor já se mostrou ótimo, com uma performance impressionante e bem rápido no Xperia Z.
Não espere por nada revolucionário como o sensor usado no HTC One. Até porque será difícil para a HTC explicar para seu público que o sensor dela com 4UP (Ultra Pixels, como a HTC quer chamá-los) é melhor que quase todos os de até 16MP em celulares por aí, e a Samsung não deve querer passar pelo mesmo problema.

Corpo – Aqui é uma incógnita TOTAL! A Samsung vem nos últimos anos abandonando o uso de materiais mais nobres (como metais) na construção de seus aparelhos e vem se aperfeiçoando em fazer com que seus aparelhos fiquem resistentes e bonitos somente com plástico. A minha aposta fica com que novamente o aparelho venha sendo basicamente de plástico e com um design que ainda remete ao do GS3 de alguma forma (cantos arredondados, fino e dando a impressão de curvado). Como o aparelho deve ser maior um pouco (no mínimo manter o mesmo tamanho), e com mais bateria, é importante manter o peso dele no mesmo patamar do de hoje, o que deve acontecer. O aparelho inicialmente era planejado para Maio, como está sendo lançado quase 2 meses antes do planejado, eu imagino que tenhamos poucas cores (2 no máximo) para o lançamento. Imagino que ele comece novamente com Azul e Branco no portifólio, talvez um preto no lugar do azul.

Wireless – As mesmas tecnologias usadas no GS3 americano. LTE, WCDMA (nosso 3,5G) e Edge. Talvez uma nova versão de LTE, a de 150Mb lançada em outros aparelhos na MWC. O wifi ainda deve vir somente com a/b/g/n, mas se vier com a surpresa do formato ac, será bem vindo. NFC e BlueTooth 4.0 também são garantidos. Outra coisa em wireless que deve vir e que será muito bem vinda é wireless charging (carregamento sem fio). Isso é algo já utilizado pela Nokia (nokia 920) e pela LG (no Nexus 4 e no futuro Optimus G PRO) e que a Samsung quer usar há algum tempo.

Memória – Como a Samsung recebeu vários elogios quando deixou acesso a SDcard externo em seus aparelhos TOP ano passado, ela deve manter isso esse ano. Imagino que tenhamos uma ou duas versões de tamanho (16GB e 32GB) e depois você expande com o cartão escolhido, que deve ser novamente compatível com cartões SDXC (com capacidades de 64GB e até superiores). A memória RAM deve ficar em 2GB (tamanho do GS3 LTE), o que é um ótimo tamanho.

Bateria – Aqui a Samsung deve seguir a regra básica: Aumentar ao máximo a bateria e mantê-la removível. Como o GS3 já tinha uma bateria de alta capacidade, é difícil adivinhar quanto a mais teremos no GS4, mas 2500mA ou 2700mA não é algo impossível.

Software – É aqui que a Samsung pode inovar o quanto quiser. Eu ainda aposto em uma versão conservadora do Android de início (4.1.2 por exemplo) e um upgrade futuro para 4.2.2 (e 5.0 quando sair, mas com um atraso de alguns meses), mas com MUITA modificação, usando uma nova versão de sua skin TouchWiz. Ame ou odeie a TouchWiz, mas como ela vem evoluindo cada vez mais com coisas que o Android padrão ainda não tem (tela dividida, smart stay e outras coisas mais), ela está aqui para ficar e a Samsung não abrirá mão dela em seus aparelhos top.

Portanto aí está um “resumão” de como será o Galaxy S IV. Ele será mais um na multidão de aparelhos de 1080p Android desse ano, mas será o que mais venderá e será um excelente aparelho. Não importa se a HTC fará o melhor, se a Sony terá o com melhor custo/benefício, se a Huaweii ou a ZTE terão aparelhos baratos com ótimo hardware. No fim das contas, o campeão de vendas do robozinho verde será o que a Samsung lançará no dia 14 de março de 2013 (até o ano que vem pelo menos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário